Destaques

Para conhecimento e análise dos nosso associados segue o Projeto de Lei nº 2040/2018, que altera a Lei nº 6.112/18, que obriga as empresas que contratam com a Administração Pública do DF em todas as esferas de Poder a implantarem Programa de Integridade. O projeto traz diversas alterações no sentido de simplificar  e tornar menos onerosa a implantação do Programa de Integridade nas empresas, especialmente nas microempresas, assim como amplia o prazo para adaptação aos dispositivos da Lei.

Veja mais informações clicando aqui e baixe o arquivo em PDF.

Fonte: Gerente de Assuntos Institucionais e Governamentais – FIBRA

 

Na última quarta-feira, 06 de Junho, o CEO José Antonio Franzoni da ARTEFAMA Móveis e o Presidente Daniel Lutz da Associação Brasileira do Mobiliário - ABIMÓVEL, estiveram realizando a entrega oficial de mobiliário no Gabinete do Ministro e Chefe do Departamento de Promoção Comercial e Investimentos do Itamaraty, Orlando Leite Ribeiro. A sala foi composta com móveis de designers brasileiros: Sofá Brera: designer Angelo Duvoisin; Poltronas Minas: designer Angelo Duvoisin; Mesa Centro Laguna: designer Emerson Borges; Mesa Lateral: designer Richards Gohr.

Na oportunidade, as autoridades tiveram um momento de análise e troca de informações quanto aos avanços e ações para a promoção do setor moveleiro nacional.

Segundo o Presidente da ABIMÓVEL, Daniel Lutz, o momento foi oportuno para a entrega oficial dos móveis, pois representa o design e a qualidade dos produtos fabricados no Brasil e que estão sendo expostos em todo o mundo através das ações do Projeto Brazilian Furniture. Para Paulo Silva, Gestor do Projeto Brazilian Furniture na Apex-Brasil, atribui parte deste sucesso e parceria entre as entidades a nova forma de gestão da Abimóvel, arrojada e muito bem integrada com seus associados, promovendo no exterior o que nós temos de mais moderno em design. Para Franzoni, a indústria de móveis do Brasil exerce um papel fundamental na economia, investindo em modernos parques fabris, gerando empregos, renda, introduzindo inovações tecnológicas e estabelecendo novas formas de ver e pensar os produtos nos demais segmentos do setor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação ABIMÓVEL 

 

 

 

O Presidente do SINDIMAM/DF, Daniel Gomes, com o objetivo de dar uma destinação sustentável aos resíduos produzidos pelas indústrias de Móveis do Distrito Federal, visitou juntamente com a Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade da FIBRA, o Consultor Paulo Santos e o Sr.  Antônio Carlos Navarro do Sindigraf, a empresa Martins Ambiental de Reciclagem de Resíduos da Construção Civil – RCC, para conhecer e ver a possibilidade da empresa receber os resíduos das Indústrias de Móveis do DF.

 

 

Na tarde dessa quarta-feira (4), o foyer da unidade São João XXIII do Serviço Social da Indústria do Distrito Federal (Sesi-DF), no Gama, foi tomado por jovens de 14 a 21 anos na cerimônia que marcou a aula inaugural da 12ª turma do ViraVida. O programa, executado pelo Sesi-DF, resgata jovens em situação de risco e de vulnerabilidade social. Criado em 2008 pelo Conselho Nacional do Sesi, o ViraVida foi implementado no DF em novembro de 2009 e já formou cerca de 600 moças e rapazes.

A cerimônia marcou o fim da etapa de ambientação, que durou quatro meses, e o início da fase da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e da qualificação profissional, que se estende por um ano. A turma tem 91 participantes. Os quatro meses de ambientação foram marcados pela evolução do nível de escolaridade de 34 alunos que fizeram aceleração e puderam se juntar aos colegas na EJA.

Apesar do pouco tempo de andamento da turma, os alunos já puderam sentir os impactos do programa. “É uma experiência maravilhosa. Quando cheguei aqui, era uma jovem sem luz, sem esperança. Já passei por muita coisa difícil e tirei forças de onde não tinha e me mantenho estável. O ViraVida é tudo para mim”, disse, emocionada, uma das alunas da turma.

A aula inaugural teve a presença de representantes do Sistema Fibra, de sindicatos filiados e de instituições parceiras do programa. “Todos sabem o apreço que tenho pelo ViraVida, que é minha paixão. O cumprimento dessa missão serve muito mais a nós do que a vocês. Todo o Sistema se dá por satisfeito quando pessoas como vocês aceitam essa missão”, afirmou o presidente do Sistema Fibra, Jamal Jorge Bittar.

Para a coordenadora do projeto no DF, Cida Lima, além de garantir os direitos de cada um, o ViraVida cria condições para que os jovens desenvolvam carreiras e alcancem autonomia. “É um processo de valorização dos indivíduos. Nós os acolhemos e entendemos os seus problemas e suas necessidades, de forma a oferecer as melhores oportunidades possíveis para que eles enxerguem o potencial que têm.”

Para se capacitar profissionalmente, os alunos dessa turma podem optar pelos cursos de Informática, Auxiliar Administrativo, Recepcionista, Modelagem Industrial, Instalador Residencial e Montagem de Microcomputador. Essas qualificações são realizadas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai)e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), enquanto as atividades da EJA ficam sob os cuidados do Sesi.

O superintendente de Articulação do Conselho Nacional do Sesi, Valcides Araújo, assistiu a uma aula inaugural do programa pela primeira vez. “Eu vi o futuro em várias formaturas do ViraVida e, agora, vejo o início. Pelo futuro que eu vi, digo que vai valer a pena. Não será fácil, mas posso assegurar que será recompensador”, disse Araújo aos alunos.

“Eu me sinto muito importante aqui”

A 12ª turma do ViraVida no DF é a primeira a ter a participação de um aluno com deficiência auditiva. Com auxílio de uma intérprete, a jovem surda-muda participa de todas as atividades com os colegas. Para ela, o maior desafio desses meses está sendo no eixo de desenvolvimento humano do programa. São vivências de resgate da autoestima e terapias comunitárias.

“Adoro esse curso e o aprendizado que ele me proporciona. Eu me sinto muito importante aqui. Percebi que, para dar uma virada na minha vida, sou capaz de não pensar em coisas ruins, me sentir mais feliz, me esforçar para crescer, amadurecer, aceitar os desafios, esquecer muitas coisas que me fizeram mal. Sou capaz até de não ter medo de encontrar o homem que me violentou e de perdoá-lo”, relatou, por meio da língua brasileira de sinais.

Essa turma é a primeira a ser integralmente custeada com verba pública, por meio de emenda do deputado distrital Rodrigo Delmasso (Podemos) executada pela Secretaria da Criança do Distrito Federal por meio de um termo de fomento com o Sistema Fibra.

 
Fonte: Assessoria de Imprensa do Serviço Social da Indústria do Distrito Federal (Sesi-DF)

Subcategorias

Últimas Notícias

Publicidade

Serviços

Enquete

Como o Sindimam pode lhe ajudar?

Parceiros