Destaques

 

Na tarde dessa quarta-feira (4), o foyer da unidade São João XXIII do Serviço Social da Indústria do Distrito Federal (Sesi-DF), no Gama, foi tomado por jovens de 14 a 21 anos na cerimônia que marcou a aula inaugural da 12ª turma do ViraVida. O programa, executado pelo Sesi-DF, resgata jovens em situação de risco e de vulnerabilidade social. Criado em 2008 pelo Conselho Nacional do Sesi, o ViraVida foi implementado no DF em novembro de 2009 e já formou cerca de 600 moças e rapazes.

A cerimônia marcou o fim da etapa de ambientação, que durou quatro meses, e o início da fase da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e da qualificação profissional, que se estende por um ano. A turma tem 91 participantes. Os quatro meses de ambientação foram marcados pela evolução do nível de escolaridade de 34 alunos que fizeram aceleração e puderam se juntar aos colegas na EJA.

Apesar do pouco tempo de andamento da turma, os alunos já puderam sentir os impactos do programa. “É uma experiência maravilhosa. Quando cheguei aqui, era uma jovem sem luz, sem esperança. Já passei por muita coisa difícil e tirei forças de onde não tinha e me mantenho estável. O ViraVida é tudo para mim”, disse, emocionada, uma das alunas da turma.

A aula inaugural teve a presença de representantes do Sistema Fibra, de sindicatos filiados e de instituições parceiras do programa. “Todos sabem o apreço que tenho pelo ViraVida, que é minha paixão. O cumprimento dessa missão serve muito mais a nós do que a vocês. Todo o Sistema se dá por satisfeito quando pessoas como vocês aceitam essa missão”, afirmou o presidente do Sistema Fibra, Jamal Jorge Bittar.

Para a coordenadora do projeto no DF, Cida Lima, além de garantir os direitos de cada um, o ViraVida cria condições para que os jovens desenvolvam carreiras e alcancem autonomia. “É um processo de valorização dos indivíduos. Nós os acolhemos e entendemos os seus problemas e suas necessidades, de forma a oferecer as melhores oportunidades possíveis para que eles enxerguem o potencial que têm.”

Para se capacitar profissionalmente, os alunos dessa turma podem optar pelos cursos de Informática, Auxiliar Administrativo, Recepcionista, Modelagem Industrial, Instalador Residencial e Montagem de Microcomputador. Essas qualificações são realizadas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai)e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), enquanto as atividades da EJA ficam sob os cuidados do Sesi.

O superintendente de Articulação do Conselho Nacional do Sesi, Valcides Araújo, assistiu a uma aula inaugural do programa pela primeira vez. “Eu vi o futuro em várias formaturas do ViraVida e, agora, vejo o início. Pelo futuro que eu vi, digo que vai valer a pena. Não será fácil, mas posso assegurar que será recompensador”, disse Araújo aos alunos.

“Eu me sinto muito importante aqui”

A 12ª turma do ViraVida no DF é a primeira a ter a participação de um aluno com deficiência auditiva. Com auxílio de uma intérprete, a jovem surda-muda participa de todas as atividades com os colegas. Para ela, o maior desafio desses meses está sendo no eixo de desenvolvimento humano do programa. São vivências de resgate da autoestima e terapias comunitárias.

“Adoro esse curso e o aprendizado que ele me proporciona. Eu me sinto muito importante aqui. Percebi que, para dar uma virada na minha vida, sou capaz de não pensar em coisas ruins, me sentir mais feliz, me esforçar para crescer, amadurecer, aceitar os desafios, esquecer muitas coisas que me fizeram mal. Sou capaz até de não ter medo de encontrar o homem que me violentou e de perdoá-lo”, relatou, por meio da língua brasileira de sinais.

Essa turma é a primeira a ser integralmente custeada com verba pública, por meio de emenda do deputado distrital Rodrigo Delmasso (Podemos) executada pela Secretaria da Criança do Distrito Federal por meio de um termo de fomento com o Sistema Fibra.

 
Fonte: Assessoria de Imprensa do Serviço Social da Indústria do Distrito Federal (Sesi-DF)

Que o mundo dos negócios está cada vez mais moderno e competitivo não restam dúvidas. Todos os dias aparecem no mercado novos equipamentos, materiais, técnicas, leis, regras. São tantas novidades que deixam os empresários, literalmente, perdidos. Se já é difícil para as grandes empresas, que têm os campos institucional e financeiro bem desenvolvidos, para as micro e pequenas, acompanhar essas atualizações se torna praticamente impossível.

Visando auxiliar este grupo de empresários do segmento industrial local nos processos de capacitação, o Sistema Fibra e seus sindicatos filiados acabam de firmar mais uma parceria com o Sebrae-DF, por meio do Sebraetec, programa nacional que oferece serviços em inovação e tecnologia para a indústria.

Desta vez, a iniciativa tem como foco desenvolver consultorias especializadas para as indústrias do Distrito Federal, trazendo como diferencial o preço da contratação, que contará com um subsídio de 70%. Com esta grande vantagem, o empresário pagará apenas 30% do valor de mercado das consultorias, que têm como temas: Logomarcas; Fachadas; Mídias Sociais; Boas Práticas de Manipulação de Alimentos; Peças Promocionais; Melhorias dos Processos Produtivos; e Planejamento e Desenvolvimento de Coleção.

Além disso, também serão oferecidos serviços essenciais para todos os segmentos industriais, como desenvolvimento do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) e Segurança e Saúde do Trabalho (SST). Este último, por exemplo, para ser implementado em uma empresa com até 30 funcionários, sairia no mercado por cerca R$2.800,00. As empresas associadas aos sindicatos filiados à Fibra podem contratar o mesmo serviço por apenas 30% deste valor, R$ 840,00, com diversas opções de parcelamento.

Segundo o gerente de Atendimento da Unidade Indústria do Sebrae-DF, Daniel Barreto, a parceria foi desenvolvida com o objetivo de tornar as consultorias acessíveis aos pequenos e médios empresários, além de otimizar tempo e recursos. Trabalhando de forma integrada, as entidades do Sistema S conseguem oferecer uma diversidade de produtos e serviços, elevando os níveis de qualidade das ações. “As instituições estão contribuindo para o desenvolvimento e para o aumento da competitividade do segmento industrial do DF. Mas é importante que as empresas também busquem os sindicatos e conheçam tudo o que é ofertado para o setor”, explicou.

As consultorias têm, em média, de 40 a 60 horas, e são realizadas, em sua maioria, nas sedes das empresas. De acordo com a demanda de cada contratante, os técnicos do Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Sebrae também podem avaliar a possibilidade de desenvolver novas capacitações específicas para o segmento.

Representando o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), o presidente do Sindicato da Indústria da Informação do Distrito Federal (Sinfor/DF), Ricardo Caldas, destacou que, muitas vezes, o empresário reconhece a importância de investir em qualificação, mas não dispõe dos recursos necessários para fazer tais contratações. “Este tipo de parceria vai ao encontro das nossas necessidades porque oferece exatamente a atualização que a empresa precisa, ao mesmo tempo em que minimiza os custos do serviço, sem reduzir a qualidade”, disse Caldas.

Já para Daniel Borges, presidente do Sindicato das Indústrias da Madeira e do Mobiliário do Distrito Federal (Sindimam-DF), as consultorias vêm ocupar um vácuo de capacitação existente nas empresas, considerando que elas devem tratar de temas que ainda são pouco conhecidos por parte dos empresários. “O Plano de Gerenciamento de Resíduos, por exemplo, ainda é confuso e tem muitas informações indefinidas para o segmento. Esta parceria é uma oportunidade de fortalecer não só o segmento, mas todo o setor industrial do DF”, finalizou.

Para as empresas interessadas em obter mais informações ou contratar algum dos serviços, basta entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente do Sistema Fibra pelo telefone 4042-6565, ou Central de Relacionamento do Sebrae pelo telefone: 0800 570 0800.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Federação das Indústrias do Distrito Federal

 

 

O SINDIMAM/DF convida para o workshop "Marcenaria Tecnológica", que será realizado no dia 01 de agosto de 2017, das 09h às 11h30, na sede do sindicato ( Sala de Reunião nº 1510, no SCN Qd. 01 Bl. E - Ed. Central Park)Participe! Mais informações: (61) 3234-3863

Subcategorias

Últimas Notícias

Publicidade

Serviços

Enquete

Como o Sindimam pode lhe ajudar?

Parceiros