Destaques

 

jrinteriores energia fotovoltaica sindimam Desde fevereiro, Ceilândia tem uma fábrica de móveis que produz sua própria energia elétrica por meio de placas fotovoltaicas. Com o sistema, a JR Interiores reduziu a conta mensal de energia elétrica de R$ 3 mil para cerca de R$ 400. O projeto teve o apoio do Sindicato das Indústrias da Madeira e do Mobiliário do Distrito Federal (Sindimam-DF) e do Sistema Fibra.

Na manhã desta quinta-feira (23), os responsáveis pelo empreendimento apresentaram a estrutura do sistema fotovoltaico a empresários de diversos segmentos industriais e a equipes do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do DF (Senai-DF) e do Serviço Social da Indústria do DF (Sesi-DF). “Fizemos um investimento de R$ 122 mil e teremos retorno após cinco anos. Foi uma decisão viável, pois o nosso objetivo é ser um estabelecimento inovador e preocupado com o meio ambiente”, explicou José Aurinho, um dos sócios da JR Interiores. A expectativa é que as placas tenham vida útil de 25 anos.

A empresa, em atividade há nove anos, faz parte de um projeto-piloto do Sindimam-DF. O objetivo do sindicato é incentivar a adoção de sistemas de energia fotovoltaica na indústria de móveis da capital. “Como representante do setor, o meu dever é propor soluções que contribuam para o crescimento das empresas e que tornem o ambiente de negócios propulsor e competitivo”, afirmou o presidente do Sindimam-DF, Daniel Borges (foto). A entidade intermediou o contato com especialistas e fez indicações de empresas que fazem projetos de energia sustentável, fornecem materiais e instalam as placas.jrinteriores energia fotovoltaica sindimam 1

Tudo começou em 2017. Primeiro, o Senai-DF assessorou a fábrica no dimensionamento da demanda e das necessidades de infraestrutura. Um técnico acompanhou Aurinho a uma feira em São Paulo voltada ao tema e a visitas a empreendimentos de outros segmentos que utilizam placas solares.

A JR Interiores, então, contratou uma empresa especializada na implantação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede e em eficiência energética, que fez um estudo sobre o histórico de consumo e as demandas do negócio, incluindo uma simulação de um sistema de energia fotovoltaica.

A segunda fase foi a obtenção de financiamento no Banco do Brasil, com recursos do Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). Em seguida, foi feita a apresentação do projeto à Companhia Energética de Brasília (CEB). Com a aprovação, a instalação do equipamento ocorreu no começo do ano.

A última fase foi a troca do medidor de energia, que passou do tradicional para um que calcula o consumo e a injeção de crédito na rede. “Dessa forma, a energia produzida pelas placas é transmitida para a concessionária e retorna para a empresa como desconto na fatura mensal”, explica o engenheiro elétrico Mateus de Sordi, da Smartly, empresa contratada pela JR Interiores. Nos meses em que a produção de energia é maior que o valor da fatura, o crédito é acumulado para o mês seguinte. Só não pode ser usado para o pagamento da taxa de iluminação pública.

O presidente da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), Jamal Jorge Bittar, compareceu ao evento. “A coragem e a ousadia da JR Interiores enriquecem a indústria local, pois a tornam consciente e integrada à inovação. E, claro, a economia com a conta de energia permitirá que os recursos sejam empregados em novas ações de crescimento.” O diretor regional do Senai-DF, Marco Secco, e a superintendente do Sesi-DF, Gricelia Melo, também estiveram na empresa para conhecer o novo sistema.

Texto: Dayane dos Santos
Fotos: Helio Montferre/Sistema Fibra
Assessoria de Comunicação do Sistema Fibra

Últimas Notícias

Publicidade

Serviços

Enquete

Como o Sindimam pode lhe ajudar?

Parceiros